Pular para o conteúdo principal

UM NOVO MODELO DE CARNAVAL

O carnaval é uma festa do povo que se originou na Grécia em meados dos anos 600 a 520 a.C. e que marcava o período de agradecimento aos deuses pela fertilidade do solo e pela produção (CABRAL, 2009). Em certo período os gregos e romanos inseriram bebidas e práticas sexuais como forma de comemorarem a alegria e as conquistas.
É um período de festa regido pelo ano lunar, ou seja, ocorre sempre na 7ª semana que antecede a Páscoa que ocorre no primeiro domingo após o 14° dia de lua nova. O Carnaval tem duração dos três dias que antecedem a quarta-feira de cinzas. Esta comemoração é marcada pelo “adeus a carne” devido ao fato de preceder a quaresma: um período de 40 dias de privações e jejum que foi instituído pela igreja católica como preparação espiritual para lembrarmo-nos da crucificação de Jesus Cristo – a sexta-feira Santa, o sábado da Aleluia – onde se malha o Judas, o traidor e a comemoração, no domingo, da Páscoa – ressurreição de Cristo.

O Brasil teve influência européia, pelo Renascimento, na adoção do baile de máscaras, desfiles de fantasias e carros alegóricos, principalmente no Rio de Janeiro. Araguari foi influenciada pelos cariocas e por muito tempo manteve a tradição dos bailes de carnaval e o desfile de escolas de samba, guardadas as devidas proporções.
Com o advento dos trios elétricos, principalmente em Salvador/BA, e o carnaval fora de época, foram deixadas de lado as máscaras e fantasias do carnaval mais lúdico. Foram adotadas as práticas dos gregos e romanos, ou seja, uma festa da carne, regada com muita bebida alcoólica, fumo e práticas sexuais.
O carnaval contemporâneo se tornou apenas uma festa e conforme o dicionário Aurélio uma confusão, trapalhada e desordem o que classifica perfeitamente o carnaval de Araguari. Como festa do povo não se tem mais essa tradição. Não se pode considerar aprazível e esteticamente belo o que é apresentado como desfiles de fantasias e carros alegóricos pelas escolas de samba da cidade. São quarenta mil reais de dinheiro público jogados no lixo.
Como tudo na vida é dinâmico, os carnavalescos e foliões de Araguari deveriam repensar o modelo de carnaval a ser adotado na cidade. Não temos o dinheiro e a tradição das escolas de samba cariocas para realizar um carnaval bem estruturado e com qualidade. Não temos a pretensão de tirar Claudia Leite ou Ivete Sangalo do circuito Barra – Ondina (Salvador) e trazer para o circuito Mato Grosso – Minas Gerais (avenidas), mas podemos criar um modelo nosso, sem comparações, onde a festa do povo pode ser realmente feita pelo povo e se tornar única, onde cada um escolhe a maneira de se divertir, porém, organizadamente. Nestes moldes, a festa seria bancada pela iniciativa privada com o suporte do poder público. Um carnaval que percorresse as avenidas de Araguari num mix musical para todos os gostos, como resgate de uma atividade lúdica com foco na inocência de todas as idades.
Em Araguari podemos agregar valor a nossa festa para que se torne um marco turístico e cultural. Temos que comemorar, sim, nossas alegrias, conquistas e nossa produção, sobretudo, comemorar a vida com respeito e segurança regados com bom humor e sem preconceitos.
Que o carnaval de Araguari em 2011 seja o marco inicial do advento de uma década de transformações culturais e a abertura de um período de conquistas e alegrias que deverão ser plantadas, neste exato momento, por meio da semente do discernimento e do bom senso.

Fonte Bibliográfica:
CABRAL, Gabriela. HISTÓRIA DO CARNAVAL. 2009. Disponível em http://www.brasilescola.com/carnaval/historia-do-carnaval.htm

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Patrimônio Cultural Imaterial e Material

A Unesco define como Patrimônio Cultural Imaterial "as práticas, representações, expressões, conhecimentos e técnicas - junto com os instrumentos, objetos, artefatos e lugares culturais que lhes são associados - que as comunidades, os grupos e, em alguns casos, os indivíduos reconhecem como parte integrante de seu patrimônio cultural."
O Patrimônio Imaterial é transmitido de geração em geração e constantemente recriado pelas comunidades e grupos em função de seu ambiente, de sua interação com a natureza e de sua história, gerando um sentimento de identidade e continuidade, contribuindo assim para promover o respeito à diversidade cultural e à criatividade humana.

O Patrimônio Material com base em legislações específicas é composto por um conjunto de bens culturais classificados segundo sua natureza nos quatro Livros do Tombo: arqueológico, paisagístico e etnográfico; histórico; belas artes; e das artes aplicadas. Eles estão divididos em bens imóveis como os núcleos urbanos, sí…

As vantagens do calçamento de pedras

A compilação do texto abaixo reflete exatamente o meu pensamento pessoal e técnico em relação a pavimentação das inúmeras ruas de pedras da cidade de Araguari.

Tipos de Pavimentos de Ruas, Pátios e Pistas de Rolamento

O uso de pedras para pavimentar os caminhos do homem remontam aos tempos históricos. Era usado desde os gregos, os egípcios e os chineses. Por falta de tecnologia as primeiras vias eram pavimentadas com pedaços de pedra de todos os tamanhos. Com o domínio da arte de forjar ferramentas, o homem passou a cortar alguns tipos de pedras com maior simetria, que puderam ser utilizadas para diversos fins.
Usando mármore e granito o homem agora podia construir templos, igrejas, castelos e outras edificações. As ruas das cidades recebiam pavimentação a partir do corte rústico do granito, basalto, arenito e outras pedras menos rígidas.
Existem vários exemplos de estradas, ruas, praças e pátios construídas há milênios com estes tipos de pavimento e que ainda hoje servem a população, de …

Crescimento x Desenvolvimento

Sempre que se "comparam" as cidades o ponto principal é analisar "como elas cresceram".

O crescimento é baseado em números, ou seja, número de habitantes, número de indústrias, número de universidades, número de hospitais, número de vereadores na Câmara Municipal, enfim, no Brasil um número é o diferencial.

No meu entendimento, o crescimento é uma conseqüência do desenvolvimento. Para se alcançar o desenvolvimento é necessário dotar a cidade de condições para que o ser humano possa viver com qualidade de vida. Como qualidade de vida é subjetivo, ou seja, o mínimo para uma pessoa viver pode ser o máximo para a outra, depende apenas daquilo que a satisfaça num determinado momento.

Desenvolvimento é medido observando indicadores econômicos, sociais, culturais, ambientais, de sustentabilidade e o quanto isso é revertido em prol do ser humano para que ele possa ter uma vida digna.

Crescimento está diretamente ligado a quantidade, por outro lado Desenvolvimento está diretame…

Planejamento e Gestão Urbana II

1 - Introdução

O crescimento das cidades, principalmente o crescimento desordenado, leva-nos a pensar maneiras de contribuir com as cidades para que elas possam ter condições de oferecer o mínimo de qualidade de vida a geração presente e as futuras.
O processo de pensar a cidade recebe o nome de planejamento urbano. Planejar é escolher um conjunto de ações consideradas as mais adequadas para conduzir a situação atual na direção dos objetivos desejados. A execução destes objetivos fica a cargo da gestão pública. Gestão e planejamento são complementares, assim, planejamento é pensar em ações para o amanhã e gestão é o próprio fazer imediato daquilo que o planejamento delineou, na dimensão do tempo presente e dos recursos disponíveis.
2 - Planejamento e Gestão

Muitas vezes se diz que tal governo não planeja a sua cidade. O que ocorre é que atualmente os governos ainda estão presos a modelos de gestão pública onde o mais importante é o orçamento público, ou seja, define-se o quanto cada seto…

O Patrimônio Cultural - Quem é o Jacu?

Muitos dizem serem cultos e pertencerem a uma sociedade culta. Muitos se dizem entendidos de vários assuntos e chegam ao cúmulo de chamar outras pessoas de “Jacu” por discordar de suas opiniões ou costumes ou modo de vida. Que é “Jacu”? Que é cultura? Cultura se aplica somente aos Homens? Como reconhecer um Homem culto? Você se considera uma pessoa culta? Será que ser culto é apenas ler bons livros, falar e escrever em vários idiomas, viajar aos mais variados países, ir ao teatro, ser ator, autor, jornalista, radialista, apresentador de TV, professor, ter cursado um curso superior, ouvir bossa nova? Mas, vocês verão que até pra ser e chamar o outro de “Jacu” precisa ter cultura.

Para entendermos cultura precisamos compreender os fatores que contribuem para a existência de uma sociedade. Cultura está vinculado às sociedades. Sociedade pressupõe seres que compartilham a companhia de outros, tenham um idioma comum, leis ou regras de conduta, vivem em colaboração mútua em um mesmo meio ge…