Feliz Ano Novo

Uma nova década surge no horizonte e com ela a esperança de dias melhores. Pois é, “a festa acabou, a luz apagou, o povo sumiu, a noite esfriou, e agora, José?[i]” É, e agora? A volta a realidade é dolorida. O cartão de crédito, o IPVA, a taxa do conselho, a matricula da escola, a prestação da “Minha Casa, Minha Vida[ii]”, a prestação do carro, o nascimento do(a) filho(a) que está próximo, o amor, o desamor,..., então é Janeiro “pro enfermo e pro são, pro rico e pro pobre[iii]”, pro brasileiro com ou sem dinheiro, o ano começou pro casado ou pro solteiro!

E agora, o que fazer? Ser feliz. Sorria, você é o reflexo dos seus atos. Mas não tenho dinheiro para pagar tudo isso..! Então senta na sarjeta e chora, vai que cai algumas moedas do céu. Mas, cuidado, pode ser que sentado na sarjeta, passe um carro e te jogue lama da chuva da noite anterior.

Então, levanta-te e faça diferente. Deixe de ser mais um nessa multidão de desesperados e acredite no milagre, pois na sua situação, só milagre mesmo pra te tirar do buraco que você mesmo cavou. Calma, não desanime, o trabalho é a solução. Não esmoreça e transforme sua força pessimista em ação, supere suas preocupações e dê direção a sua vida.

Você está desempregado? E gastou tanto assim? Desculpe-me, mas você é um...(piiiiiiii) cabeça dura. Você é uma pessoa sem limites e vive de aparências só para agradar os outros. Mas, para você, também se tem a solução. Capinar os quintais. Nesta época de chuva o mato cresceu e por dia você ganha pelo menos oitenta reais, no fim do mês, pelo menos, um mil e seiscentos reais. Então, pare de chorar, arregace as mangas, coloque o chapéu na cabeça, amole a enxada e vai labutar para a vida melhorar e pare de se endividar.

Está achando difícil? Semeie um novo começo e colha os frutos da oportunidade! Para isso, você precisa ter duas coisas: desejo e vontade.  A vontade é potencializar o desejo, torná-lo real com inteligência. Você tem desejo ou vontade? Pouquíssimas pessoas têm vontade. É preciso ter a essência do desejo do bem. Mas, só o desejo não basta, precisa despojar-se dos preconceitos e ter a vontade da prática do bem. Desejo é a necessidade, o combustível. Vontade é o motor, o que impulsiona para a prática, para a realização.

A hora é agora José! A festa acabou, o dia raiou, a Maria já fez o café e o guarda já ta de pé[iv]. Não espere que caia do céu o que deseja, confie em você, tenha vontade e confie na sua vitória. Mas, a vida é feita de escolhas. Neste momento deverá escolher entre sair do buraco ou se afundar ainda mais. Está no seu desejo e na sua vontade qual caminho percorrerá. A responsabilidade é somente sua e de mais ninguém e espelhe na lição da borboleta[v]:

"Um dia, uma pequena abertura apareceu num casulo; um homem sentou e observou a borboleta por várias horas, conforme ela se esforçava para fazer com que seu corpo passasse através daquele pequeno buraco. Então pareceu que ela havia parado de fazer qualquer progresso.
Parecia que ela tinha ido o mais longe que podia, e não conseguia ir mais. Então o homem decidiu ajudar a borboleta: ele pegou uma tesoura e cortou o restante do casulo. A borboleta então saiu facilmente.
Mas seu corpo estava murcho, era pequeno e tinha as asas amassadas. O homem continuou a observá-la, porque ele esperava que, a qualquer momento, as asas dela se abrissem e se esticassem para serem capazes de suportar o corpo que iria se afirmar a tempo. Nada aconteceu! Na verdade, a borboleta passou o resto de sua vida rastejando com um corpo murcho e asas encolhidas. Ela nunca foi capaz de voar! O que o homem, em sua gentileza e vontade de ajudar não compreendia, era que o casulo apertado e o esforço necessário à borboleta para passar através da pequena abertura era o modo pelo qual Deus fazia com que o fluído do corpo da borboleta fosse para as suas asas, de forma que ela estaria pronta para voar uma vez que estivesse livre do casulo.
Algumas vezes, o esforço é justamente o que precisamos em nossa vida. Se Deus nos permitisse passar através de nossas vidas sem quaisquer obstáculos, ele nos deixaria aleijados. Nós não iríamos ser tão fortes como poderíamos ter sido. Nós nunca poderíamos voar.
Eu pedi forças...
e Deus deu-me dificuldades para fazer-me forte.
Eu pedi sabedoria...
e Deus deu-me problemas para resolver.
Eu pedi prosperidade...
e Deus deu-me cérebro e músculos para trabalhar.
Eu pedi coragem...
e Deus deu-me obstáculos para superar.
Eu pedi amor...
e Deus deu-me pessoas com problemas para ajudar.
Eu pedi favores...
e Deus deu-me oportunidades.”
        
Abrace suas dificuldades e transforme-as em oportunidades!

Feliz Ano Novo!
        



[i] Trecho do poema “José” de Carlos Drummond de Andrade.
[ii] Programa Habitacional do Governo Federal
[iii] Trecho da música “Então é Natal” uma versão de Cláudio Rabello
[iv] Versão de um trecho de uma cantiga de roda.
[v] Autor desconhecido.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Patrimônio Cultural Imaterial e Material

As vantagens do calçamento de pedras

Seu direito de IR e VIR é respeitado?