Edição III - relacionando conceitos

6. Construindo um conceito de cultura

Para entendermos cultura precisamos compreender os fatores que contribuem para a existência de uma sociedade. Cultura está vinculada às sociedades. Sociedade pressupõe seres que compartilham a companhia de outros, tenham um idioma comum, leis ou regras de conduta, vivem em colaboração mútua em um mesmo meio geográfico e produzem seus meios de existência, ou seja, tenham seu modo de produção material e imaterial.

O modo de produção está diretamente ligado aos recursos naturais, os instrumentos para transformação da matéria-prima e o conhecimento, que constituem componentes artificiais no processo de criação das condições de vida em sociedade. Um modo de produção primitivo é aquele que aproveita o que o meio lhe oferece. O modo de produção capitalista é aquele submetido à vontade do patrão. Tudo que o homem produz é artificial e constitui seu patrimônio cultural.

Pois bem, o homem é um ser sociável e necessita desses componentes retirados da natureza, por meio de seus conhecimentos e da utilização dos instrumentos disponíveis, para produzir a sua identidade.

Cultura, genericamente conceituada, é tudo aquilo que o Homem produz para sua sobrevivência e relação com outros Homens e que pode ser transmitido aos seus sucessores.

O Homem se distingue de outros animais que vivem em sociedade por sua capacidade de ter e criar cultura, de integrar-se ao ambiente que vive, de reconhecer o passado histórico de seu grupo, de assumir relações sociais e de produzir para a sua existência.

O homem é um animal que constrói, por meio de sistemas simbólicos, um ambiente artificial no qual vive e o qual está continuamente transformando. Um ambiente que também se pode denominar cultural e que se contrapõe ao ambiente natural, ou habitat.

Quando o Homem sabe utilizar dessas características para construir um ambiente artificial, permitindo continuamente, seu movimento de criação, transmissão e reformulação, está definindo sua identidade, sua herança, seu legado que perpetuará por gerações, constituindo assim seu patrimônio cultural.

A cultura é, propriamente, esse movimento de criação, transmissão e reformulação desse ambiente artificial. E essa é a definição antropológica de cultura.

7. A relação do Homem e o Patrimônio Histórico

A cidade é um ambiente artificial produzido pelo Homem e constitui o patrimônio cultural de uma sociedade. O patrimônio cultural do Homem é tudo aquilo que ele produziu e adquiriu como conhecimento e experiências ao longo de sua existência.

O senso de preservação e conservação, além do respeito pelo patrimônio cultural de uma sociedade e de si mesmo, delineiam o Homem culto. Ler, viajar, saber outros idiomas, ouvir música, ir ao teatro, entre outras atividades são importantes para a formação do Homem. O produto desse conhecimento compartilhado será importante para a formação de uma sociedade culta. A união dos conhecimentos de uma sociedade produzirá o seu patrimônio cultural, que no âmbito de uma cidade, constitui o conjunto de bens móveis e imóveis de excepcional valor histórico, paisagístico, arqueológico, etnográfico, arquitetônico, bibliográfico ou artístico. A esse conjunto vamos dar o nome de PATRIMÔNIO HISTÓRICO.

O ser que considera o Patrimônio Histórico como sendo um “problema” para o desenvolvimento de uma cidade, age dessa forma por falta de conhecimento, por não respeitar aquilo que seus antepassados produziram, ou seja, não reconhece no presente a sua própria origem, sendo assim, não possui nenhum legado para deixar as suas gerações futuras. É um ser que não se distingue de outros animais. É um ser que não produz nada de útil para ser compartilhado com a sociedade atual ou futura.

Como pode um Homem autodenominar-se “culto” por ter nascido em Araguari, viajado a Europa e ter conhecido Roma e Grécia se não conhece a identidade do lugar que nasceu; por ser brasileiro e falar inglês, italiano, francês, alemão e não entender o português; por ter lido “Os Lusíadas” (1576) de Luís Vaz de Camões e não saber a biografia do seu bisavô; por ter ouvido todos os discos da bossa nova e não saber respeitar o gosto musical dos seus semelhantes; por ter comprado um casarão antigo e o ter demolido com a justificativa de estar contribuindo para o “desenvolvimento” da cidade; por ter construído um arranha-céu com estilo hi-tech, mas não permite que seus filhos conheçam o estilo arquitetônico Barroco Mineiro; enfim, como pode ser culto o Homem que renega suas raízes?

Assim, o patrimônio cultural de um povo é constituído pelos elementos da natureza (do meio em que o homem vive); dos elementos não tangíveis, como os conhecimentos e as técnicas; e os artefatos.

"Nossa deformação cultural nos faz pensar que cabe a um segmento da sociedade levar cultura a outro. Nós temos é que buscar a cultura no povo, dando condições para que ela brote”.
Fernanda Montenegro

O que diferencia sociedades desenvolvidas de sociedades subdesenvolvidas é a maneira com que as pessoas produzem, respeitam, preservam e utilizam sua cultura.

Respeitar, reconhecer, valorizar e preservar o nosso Patrimônio Cultural Material e Imaterial não é só chique como, também, é necessário para que as futuras gerações possam identificar no passado, a sua origem, seu modo de vida, suas tradições, seu comportamento, sua forma de agir e pensar para se projetar um futuro cada vez melhor e com qualidade de vida.

Texto de: 
Alessandre Humberto de Campos
arquiteto e urbanista

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Patrimônio Cultural Imaterial e Material

As vantagens do calçamento de pedras

Crescimento x Desenvolvimento