Pular para o conteúdo principal

Araguari: 123 anos (parte 1)

Evolução Urbana - Fatos e Personalidades

1824 – 1888 – 1928

A colonização da região está ligada ao ciclo do ouro no Brasil. As terras onde foi implantada a nossa cidade estavam na rota da Estrada do Anhanguera, aberta por Bartolomeu Bueno da Silva Filho, vulgo “Anhanguera”, por volta de 1824. Importante caminho que partia de São Paulo de Piratininga até Goiás, hoje a estrada São Paulo-Brasília. Araguari se encontra em posição estratégica na ligação entre a maior cidade da América Latina e a capital federal.

No Brasil Colônia toda cidade tinha sua formação no entorno de uma capela (igreja católica). A emancipação política da Villa de Brejo Alegre em 1884 culminou com a elevação à categoria de cidade no ano de 1888. No momento inicial de autonomia, a cidade já contava com inúmeras ruas e a Câmara Municipal propôs e sancionou uma nova nominação a elas. Outro fator interessante nesse período foi a criação do cargo de alinhador pelo poder público e a contratação de um engenheiro para a confecção da primeira planta da cidade.

Para a emancipação a cidade, foi feito em 1887 um levantamento das edificações existentes na Vila do Brejo Alegre. A superfície territorial compreendida dentro da demarcação urbana desta vila era de um quilômetro quadrado. Existiam dentro do povoado uma praça; o Largo da matriz, com a Igreja e 9 casas; e oito ruas: rua 7 de Setembro, com 5 casas; Rua da Matriz, com 3 casas; Rua Direita, com 9 casas; Rua 13 de maio, com 12 casas; Rua 15 de Novembro, com 11 casas; Rua 31 de março, com 19 casas; Rua Araguari, com 30 casas e Rua do Comércio, com apenas 1 casa. (...) Além delas, havia o edifício da Câmara, a cadeia, a escola e a Capela de Nossa Senhora do Rosário. Outro dado importante é a área pertencente á paróquia do Senhor Bom Jesus: nada menos que 70 Km2 além da demarcação urbana.


Uma igreja de frente para a outra. A primeira, a igreja dos senhores de terra, dos brancos, da classe abastada. A segunda, a igreja dos pretos, pobres, escravos recém libertados pela Lei Áurea (1888). Separadas fisicamente por um córrego, denominado Córrego Brejo Alegre. Este espaço da cidade era definido da seguinte forma:

“(...) Entre as duas bandas naturaes havia um brejal no meio do caminho, cabeceira de um córrego, que dividia a cidade (...)”. Citação do Jornal O Triângulo de 01/01/1941.

Araguari se deita sobre planos topograficamente harmônicos, cortados pelo Córrego Brejo Alegre – já urbanizado da Av. Bahia a Av. Minas Gerais – que deu lugar a Av. Teodolino Pereira de Araújo. A cidade cresceu sobre o horizonte de forma corajosa e sem planejamento oficial, pois foi somente a partir de 2004 que foi concebido seu Plano Diretor de Desenvolvimento Urbano. Planejar ainda é algo novo e necessita ser tratado como ponto fundamental para garantir à cidade seu desenvolvimento integrado e sustentável.

O córrego Brejo Alegre representou a divisão social. O espaço visual entre as igrejas da Matriz e do Rosário é um dos principais elementos da paisagem urbana da nossa cidade. É o marco cultural e histórico que configura a separação entre as classes sociais, no inicio do século XIX, onde, de um lado (Matriz) os coronéis, donos do poder político e econômico viviam em seus palacetes e, de outro lado (Rosário), os negros, escravos, colonos, manifestavam sua religiosidade e viviam em suas humildes casas. Esta representação histórica merece ser preservada.

Conforme relatos populares os escravos aproveitavam para realizar suas manifestações culturais e religiosas enquanto os coronéis participavam das missas. O espaço visual entre uma igreja e outra representa o comportamento de uma época e é importante cultural e historicamente, pois, permitia que os escravos verificassem quando a missa dos coronéis terminava para correrem para as senzalas antes dos ”sinhozinhos” retornarem para as fazendas e não serem castigados. Além desse fato, o espaço visual entre uma igreja e outra representa a intenção da época de mostrar que mesmos separados geográfica e socialmente, estavam no mesmo nível como seres humanos, pois, as igrejas são construídas, praticamente no mesmo nível topográfico e exatamente uma de frente para outra, ou seja, entre coronéis (ricos) e escravos (pobres) não existiam e não existem diferenças perante Deus.


A Igreja Presbiteriana de Araguari foi organizada no dia 5 de agosto de 1893 por uma comissão nomeada pelo Presbitério de Minas: Rev. Álvaro Reis, Rev. Caetano Nogueira Júnior e Pb. Lourenço de Almeida.


Tertuliano Goulart (1855-1939)
Tertuliano Goulart (1855-1939) fundou no dia 21 de abril de 1894 o jornal “Araguari”, que prestou extraordinários serviços a nossa cidade. Após 36 anos de atividade, premido por dificuldades financeiras, teve de vender o seu jornal.

Em 1895 foi elaborado por Achiles Wildulick primeiro traçado urbano da cidade de Araguari, em planta aprovada pela Lei nº 11. Três anos mais tarde, 1898, a Lei nº 50 determina o alinhamento, o nivelamento e a demarcação de praças, ruas e avenidas da cidade. Segundo a planta do engenheiro os logradouros foram demarcados por números que em 1901 foram substituídos por nome.

O bosque municipal, conhecido originariamente como Bosque do Capão, teve sua conservação decretada por parte do poder público em 1899. O início do século XX trouxe a Araguari novas possibilidades de expansão. A inserção do transporte férreo, primeiro com a Cia Mogiana em 1896 e a Estrada de Ferro Goyas em 1906, oportunizou a vinda de várias famílias de migrantes e imigrantes para a localidade gerando uma frenética difusão dos setores periféricos da cidade.

Na primeira década deste século, em 1909 foi inaugurado o primeiro cinema de Araguari, na antiga Praça da Matriz, o “Íris Cinema”.

Em 1908 foi instalada a primeira companhia telefônica em Araguari a CTA. Em agosto do mesmo ano é feita a primeira tentativa de instalação de energia e luz elétrica na cidade. Apenas em 1910 o projeto a cargo de Galileu Bonetto teve resultado mesmo que atingindo os logradouros mais importantes. A luz fascinou os moradores e o aumento do consumo de energia elétrica ocasionou a construção e instalação da Usina do Piçarrão a 11 Km da cidade. As obras foram iniciadas em 1923 e concluídas em 1925.

Em 1909 iniciam-se as atividades do Grupo Escolar Raul Soares que funcionava a Rua Coronel José Ferreira Alves. A partir de 1926 passa a ocupar o prédio atual à Av. Tiradentes. Seu primeiro diretor foi o Sr. Mário da Silva Pereira. Em 2009 a escola completa seu centenário.

O Colégio Sagrado Coração de Jesus tinha sua sede na cidade de Januária e em meados de 1919, foi transferido para Araguari. Era administrado por freiras belgas da Congregação do Sagrado Coração de Maria e foi instalado, a princípio, em uma casa na esquina da Rua Boa Vista (atual Av. Joaquim Aníbal). Posteriormente, em 1927, foi criado o noviciado da Congregação em Araguari, anexo ao colégio.

Em 22 de setembro de 1922 foi fundado o primeiro centro espírita da cidade, denominado “Centro Fé, Amor e Caridade”. Inicialmente funcionou em imóvel locado, à Rua Antônio Lemos da Silva, até o ano de 1927. Posteriormente foi edificada a sede própria em terreno doado pelo Poder Executivo, à Rua Natal Mujali, n. 788, Bairro Santa Helena onde permanece até hoje.

O Colégio Regina Pacis foi instalado em 18 de maio de 1926, pelos Padres dos Sagrados Corações, vindos da Holanda. Foram os pioneiros no ensino para rapazes. Os fundadores foram os padres Ivan den Bogaart, e, Padre Matias van Rooy. Em 1928 deu inicio a construção do complexo educacional Regina Pacis, tombado pelo Patrimônio Histórico e Cultural de Araguari, que hoje abriga a UNIPAC.

Em 1926 inicia-se a construção e em 1928 inaugura-se a Estação da Goiaz, hoje Palácio dos Ferroviários.


No passado esse prédio foi a ligação entre Minas e Goiás e, que trouxe pelos trilhos a pujança econômica ao Município e hoje se tornou o marco histórico de desenvolvimento, preservação e respeito as nossas raízes. 


Próximo post:  1929 – 1968

Fonte:
Arquivo Histórico e Museu “Doutor Calil Porto” (Fotos e Dados Históricos)
Sitio do Batalhão Mauá - http://www.btlmaua.com.br/index.html
Blog Ponto de Vista - http://peron-erbetta.blogspot.com
Jornal Gazeta do Triângulo
Portal Mackenzie. disponível em: http://www.mackenzie.br/10198.htm. Último acesso em 17/08/201.
Jornal Correio de Uberlândia.
IBGE.

Comentários

Postar um comentário

Comentários Moderados.
Só serão publicados após aprovação do editor do blog.
Não serão publicados comentários de Anônimos, fora do contexto da postagem ou que utilizam de linguagem inadequada.

Postagens mais visitadas deste blog

Patrimônio Cultural Imaterial e Material

A Unesco define como Patrimônio Cultural Imaterial "as práticas, representações, expressões, conhecimentos e técnicas - junto com os instrumentos, objetos, artefatos e lugares culturais que lhes são associados - que as comunidades, os grupos e, em alguns casos, os indivíduos reconhecem como parte integrante de seu patrimônio cultural."
O Patrimônio Imaterial é transmitido de geração em geração e constantemente recriado pelas comunidades e grupos em função de seu ambiente, de sua interação com a natureza e de sua história, gerando um sentimento de identidade e continuidade, contribuindo assim para promover o respeito à diversidade cultural e à criatividade humana.

O Patrimônio Material com base em legislações específicas é composto por um conjunto de bens culturais classificados segundo sua natureza nos quatro Livros do Tombo: arqueológico, paisagístico e etnográfico; histórico; belas artes; e das artes aplicadas. Eles estão divididos em bens imóveis como os núcleos urbanos, sí…

As vantagens do calçamento de pedras

A compilação do texto abaixo reflete exatamente o meu pensamento pessoal e técnico em relação a pavimentação das inúmeras ruas de pedras da cidade de Araguari.

Tipos de Pavimentos de Ruas, Pátios e Pistas de Rolamento

O uso de pedras para pavimentar os caminhos do homem remontam aos tempos históricos. Era usado desde os gregos, os egípcios e os chineses. Por falta de tecnologia as primeiras vias eram pavimentadas com pedaços de pedra de todos os tamanhos. Com o domínio da arte de forjar ferramentas, o homem passou a cortar alguns tipos de pedras com maior simetria, que puderam ser utilizadas para diversos fins.
Usando mármore e granito o homem agora podia construir templos, igrejas, castelos e outras edificações. As ruas das cidades recebiam pavimentação a partir do corte rústico do granito, basalto, arenito e outras pedras menos rígidas.
Existem vários exemplos de estradas, ruas, praças e pátios construídas há milênios com estes tipos de pavimento e que ainda hoje servem a população, de …

Crescimento x Desenvolvimento

Sempre que se "comparam" as cidades o ponto principal é analisar "como elas cresceram".

O crescimento é baseado em números, ou seja, número de habitantes, número de indústrias, número de universidades, número de hospitais, número de vereadores na Câmara Municipal, enfim, no Brasil um número é o diferencial.

No meu entendimento, o crescimento é uma conseqüência do desenvolvimento. Para se alcançar o desenvolvimento é necessário dotar a cidade de condições para que o ser humano possa viver com qualidade de vida. Como qualidade de vida é subjetivo, ou seja, o mínimo para uma pessoa viver pode ser o máximo para a outra, depende apenas daquilo que a satisfaça num determinado momento.

Desenvolvimento é medido observando indicadores econômicos, sociais, culturais, ambientais, de sustentabilidade e o quanto isso é revertido em prol do ser humano para que ele possa ter uma vida digna.

Crescimento está diretamente ligado a quantidade, por outro lado Desenvolvimento está diretame…

Planejamento e Gestão Urbana II

1 - Introdução

O crescimento das cidades, principalmente o crescimento desordenado, leva-nos a pensar maneiras de contribuir com as cidades para que elas possam ter condições de oferecer o mínimo de qualidade de vida a geração presente e as futuras.
O processo de pensar a cidade recebe o nome de planejamento urbano. Planejar é escolher um conjunto de ações consideradas as mais adequadas para conduzir a situação atual na direção dos objetivos desejados. A execução destes objetivos fica a cargo da gestão pública. Gestão e planejamento são complementares, assim, planejamento é pensar em ações para o amanhã e gestão é o próprio fazer imediato daquilo que o planejamento delineou, na dimensão do tempo presente e dos recursos disponíveis.
2 - Planejamento e Gestão

Muitas vezes se diz que tal governo não planeja a sua cidade. O que ocorre é que atualmente os governos ainda estão presos a modelos de gestão pública onde o mais importante é o orçamento público, ou seja, define-se o quanto cada seto…

O Patrimônio Cultural - Quem é o Jacu?

Muitos dizem serem cultos e pertencerem a uma sociedade culta. Muitos se dizem entendidos de vários assuntos e chegam ao cúmulo de chamar outras pessoas de “Jacu” por discordar de suas opiniões ou costumes ou modo de vida. Que é “Jacu”? Que é cultura? Cultura se aplica somente aos Homens? Como reconhecer um Homem culto? Você se considera uma pessoa culta? Será que ser culto é apenas ler bons livros, falar e escrever em vários idiomas, viajar aos mais variados países, ir ao teatro, ser ator, autor, jornalista, radialista, apresentador de TV, professor, ter cursado um curso superior, ouvir bossa nova? Mas, vocês verão que até pra ser e chamar o outro de “Jacu” precisa ter cultura.

Para entendermos cultura precisamos compreender os fatores que contribuem para a existência de uma sociedade. Cultura está vinculado às sociedades. Sociedade pressupõe seres que compartilham a companhia de outros, tenham um idioma comum, leis ou regras de conduta, vivem em colaboração mútua em um mesmo meio ge…