Pular para o conteúdo principal

O Nascer

"No princípio criou Deus os céus e a terra. E a terra era sem forma e vazia; e havia trevas sobre a face do abismo; e o Espírito de Deus se movia sobre a face das águas. E disse Deus: Haja luz; e houve luz. E viu Deus que era boa a luz; e fez Deus separação entre a luz e as trevas.”
Gênesis 1 1-4

O processo da concepção é fantástico. A cada dia essa progressão se faz sob uma visão microscópica à velocidade natural de um desenvolvimento no tempo certo. Cabeça, tronco, membros se integram formando um todo regido por uma alma.

Assim acontece com tudo e todos. Na comunicação não é diferente. É necessária a ação do emissor com sua linguagem emitindo uma mensagem que o receptor decodificará para o seu entendimento e interagirá por meio de uma reação.

À medida que o homem vai se desenvolvendo, passando de seres primitivos a seres inteligentes, se aperfeiçoa também, a comunicação humana. A evolução da comunicação humana pode ser dividida em três momentos: o primeiro pelos símbolos, sinais e gestos; o segundo pela fala e o terceiro pela escrita e neste momento cada grupo social desenvolveu a linguagem por meio da padronização para a representação pictórica. Cada sociedade criou uma forma particular de escrita, mas foram os sumérios quem transformaram os sons em símbolos, ou seja, os caracteres passaram a representar sílabas, este foi o primeiro passo para a escrita fonética.

A partir daí entramos na era da impressão. Com a invenção de Gutenberg (Johannes Gensfleisch zur Laden zum Gutenberg - Mogúncia, c. 1398 - 3 de Fevereiro de 1468 - foi um inventor e gráfico alemão) começou a revolução da imprensa, onde a informação pode ser levada aos mais distantes rincões.

Atualmente, a velocidade da informação deve seguir a velocidade do fato acontecido. Estamos na era da internet ou era virtual. A Internet é democrática e amplia a cidadania de seus usuários ao expandir o acesso direto à informação. É quase impossível vivermos sem este canal de informação e comunicação.

Em todas as circunstancias a informação (mensagem) levada ao leitor (receptor) tem que partir de fontes éticas (emissor) e compromissadas com a verdade, imparcialidade e ao contraditório. Assim sendo, agregará credibilidade ao órgão que checou e relatou o fato acontecido.

Nossa cidade conta com seu mais ilustre órgão de comunicação escrita o Jornal Observatório, que passou por todo um processo de concepção, com vários momentos de dificuldades e de alegrias e que agora passa pelo momento de desenvolver suas habilidades e conquistar seu espaço, levando ao leitor a verdade dos acontecimentos cotidianos de nossa cidade.

As dificuldades, que não são poucas, inclusive, por meio de críticas de pessoas que acreditam serem donas da verdade e que militam em órgãos de imprensa da cidade que querem centralizar as notícias e opiniões em seus pasquins esquecendo que no Brasil a imprensa, opiniões, ideias e pensamentos são livres - pena que em Araguari a imprensa não é totalmente independente, principalmente, das publicidades dos poderes públicos e políticos. Mas, todas as adversidades serão utilizadas como molas propulsoras para superar as etapas de desenvolvimento de todos os órgãos (editorias) que o compõem.

As alegrias refletem este momento onde se finda a primeira etapa vencida que foi a da concepção e a sua chegada a vida. Agora, o trabalho será árduo e comandado por uma cabeça (diretoria) que definirá ações inteligentes (alma) constantes para a manutenção da imparcialidade, independência, qualidade ética e do crescimento da credibilidade, por meio da ação profissional e moral dos seus membros (funcionários e colaboradores).

Desejo vida longa a este novo órgão da imprensa escrita que chega com uma alma em busca da evolução consciente, receptiva a críticas e a elogios que serão utilizados para o aperfeiçoamento da autocrítica, do desenvolvimento constante da responsabilidade social e do resgate da sustentabilidade da ética e moral jornalística de Araguari.

Alessandre Humberto de Campos
arquiteto e urbanista
especialista em reabilitação ambiental sustentável, arquitetônica e urbanística pela FAU/UnB

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Patrimônio Cultural Imaterial e Material

A Unesco define como Patrimônio Cultural Imaterial "as práticas, representações, expressões, conhecimentos e técnicas - junto com os instrumentos, objetos, artefatos e lugares culturais que lhes são associados - que as comunidades, os grupos e, em alguns casos, os indivíduos reconhecem como parte integrante de seu patrimônio cultural."
O Patrimônio Imaterial é transmitido de geração em geração e constantemente recriado pelas comunidades e grupos em função de seu ambiente, de sua interação com a natureza e de sua história, gerando um sentimento de identidade e continuidade, contribuindo assim para promover o respeito à diversidade cultural e à criatividade humana.

O Patrimônio Material com base em legislações específicas é composto por um conjunto de bens culturais classificados segundo sua natureza nos quatro Livros do Tombo: arqueológico, paisagístico e etnográfico; histórico; belas artes; e das artes aplicadas. Eles estão divididos em bens imóveis como os núcleos urbanos, sí…

As vantagens do calçamento de pedras

A compilação do texto abaixo reflete exatamente o meu pensamento pessoal e técnico em relação a pavimentação das inúmeras ruas de pedras da cidade de Araguari.

Tipos de Pavimentos de Ruas, Pátios e Pistas de Rolamento

O uso de pedras para pavimentar os caminhos do homem remontam aos tempos históricos. Era usado desde os gregos, os egípcios e os chineses. Por falta de tecnologia as primeiras vias eram pavimentadas com pedaços de pedra de todos os tamanhos. Com o domínio da arte de forjar ferramentas, o homem passou a cortar alguns tipos de pedras com maior simetria, que puderam ser utilizadas para diversos fins.
Usando mármore e granito o homem agora podia construir templos, igrejas, castelos e outras edificações. As ruas das cidades recebiam pavimentação a partir do corte rústico do granito, basalto, arenito e outras pedras menos rígidas.
Existem vários exemplos de estradas, ruas, praças e pátios construídas há milênios com estes tipos de pavimento e que ainda hoje servem a população, de …

Crescimento x Desenvolvimento

Sempre que se "comparam" as cidades o ponto principal é analisar "como elas cresceram".

O crescimento é baseado em números, ou seja, número de habitantes, número de indústrias, número de universidades, número de hospitais, número de vereadores na Câmara Municipal, enfim, no Brasil um número é o diferencial.

No meu entendimento, o crescimento é uma conseqüência do desenvolvimento. Para se alcançar o desenvolvimento é necessário dotar a cidade de condições para que o ser humano possa viver com qualidade de vida. Como qualidade de vida é subjetivo, ou seja, o mínimo para uma pessoa viver pode ser o máximo para a outra, depende apenas daquilo que a satisfaça num determinado momento.

Desenvolvimento é medido observando indicadores econômicos, sociais, culturais, ambientais, de sustentabilidade e o quanto isso é revertido em prol do ser humano para que ele possa ter uma vida digna.

Crescimento está diretamente ligado a quantidade, por outro lado Desenvolvimento está diretame…

Planejamento e Gestão Urbana II

1 - Introdução

O crescimento das cidades, principalmente o crescimento desordenado, leva-nos a pensar maneiras de contribuir com as cidades para que elas possam ter condições de oferecer o mínimo de qualidade de vida a geração presente e as futuras.
O processo de pensar a cidade recebe o nome de planejamento urbano. Planejar é escolher um conjunto de ações consideradas as mais adequadas para conduzir a situação atual na direção dos objetivos desejados. A execução destes objetivos fica a cargo da gestão pública. Gestão e planejamento são complementares, assim, planejamento é pensar em ações para o amanhã e gestão é o próprio fazer imediato daquilo que o planejamento delineou, na dimensão do tempo presente e dos recursos disponíveis.
2 - Planejamento e Gestão

Muitas vezes se diz que tal governo não planeja a sua cidade. O que ocorre é que atualmente os governos ainda estão presos a modelos de gestão pública onde o mais importante é o orçamento público, ou seja, define-se o quanto cada seto…

O Patrimônio Cultural - Quem é o Jacu?

Muitos dizem serem cultos e pertencerem a uma sociedade culta. Muitos se dizem entendidos de vários assuntos e chegam ao cúmulo de chamar outras pessoas de “Jacu” por discordar de suas opiniões ou costumes ou modo de vida. Que é “Jacu”? Que é cultura? Cultura se aplica somente aos Homens? Como reconhecer um Homem culto? Você se considera uma pessoa culta? Será que ser culto é apenas ler bons livros, falar e escrever em vários idiomas, viajar aos mais variados países, ir ao teatro, ser ator, autor, jornalista, radialista, apresentador de TV, professor, ter cursado um curso superior, ouvir bossa nova? Mas, vocês verão que até pra ser e chamar o outro de “Jacu” precisa ter cultura.

Para entendermos cultura precisamos compreender os fatores que contribuem para a existência de uma sociedade. Cultura está vinculado às sociedades. Sociedade pressupõe seres que compartilham a companhia de outros, tenham um idioma comum, leis ou regras de conduta, vivem em colaboração mútua em um mesmo meio ge…