Servidor Público

"Bem-aventurados os que têm fome e sede de justiça, porque eles serão fartos. Bem-aventurados os que padecem perseguição por amor da justiça, porque deles é o Reino dos Céus. Bem-aventurados são, quando vos injuriarem, e vos perseguirem, e disserem todo o mal contra vós, mentindo, por meu respeito. Folgai e exultai, porque o vosso galardão é copioso nos céus; pois assim também perseguiram os profetas, que foram antes de vós". (Mateus, V: 6, 10-12)

Para aqueles que me perseguem profissional e pessoalmente, digo-lhes:

“Na escola de guerra da vida, o que não me mata, me fortalece.” (Nietzsche)

“São os nossos inimigos que nos ensinam as mais valiosas lições de vida.”(Provérbio Chinês)



Em pleno século XXI a mesquinharia de certas pessoas que se intitulam "poderosas" e que gostam de um bajulador para aguçar suas vaidades temporais, me causa nojo. Pessoas estas que por exercerem um cargo temporário na administração pública, não admitem que há pessoas com a mesma ou maior capacidade profissional e intelectual que elas e, assim, por sua incompetência acreditam que pela perseguição irá desestabilizar-me.

As perseguições apenas me fortalece e me prova que as máscaras caem, pois não há mentira de lobo vestido de cordeiro que dure para sempre.

Estes inimigos me mostram que quanto mais eu convivo com eles, descubro em sua personalidade aquilo que tenho que combater em meus atos e me transformar em uma pessoa cada vez mais transparente, justa, verdadeira e objetiva.

Nada do que fazem me amedrontam, pois quem tem a certeza da Justiça Divina não se ergue ou se abala diante das injustas chibatadas dos incautos.

Podem me tirar tudo, mas nunca vão conseguir abalar minha fé, moral e ética.

Aos que me perseguem, dedico o Salmo 94 e uma Prece Espírita:

1 Ó Senhor, Deus da vingança, ó Deus da vingança, resplandece!
2 Exalta-te, ó juiz da terra! dá aos soberbos o que merecem.
3
Até quando os ímpios, Senhor, até quando os ímpios exultarão?
4 Até quando falarão, dizendo coisas arrogantes, e se gloriarão todos os que praticam a iniqüidade?
5
Esmagam o teu povo, ó Senhor, e afligem a tua herança.
6
Matam a viúva e o estrangeiro, e tiram a vida ao órfão.
7
E dizem: O Senhor não vê; o Deus de Jacó não o percebe.
8
Atendei, ó néscios, dentre o povo; e vós, insensatos, quando haveis de ser sábios?
9 Aquele que fez ouvido, não ouvirá? ou aquele que formou o olho, não verá?
10
Porventura aquele que disciplina as nações, não corrigirá? Aquele que instrui o homem no conhecimento,
11 o Senhor, conhece os pensamentos do homem, que são vaidade.
12 Bem-aventurado é o homem a quem tu repreendes, ó Senhor, e a quem ensinas a tua lei,
13
para lhe dares descanso dos dias da adversidade, até que se abra uma cova para o ímpio.
14
Pois o Senhor não rejeitará o seu povo, nem desamparará a sua herança.
15
Mas o juízo voltará a ser feito com justiça, e hão de segui-lo todos os retos de coração.
16
Quem se levantará por mim contra os malfeitores? quem se porá ao meu lado contra os que praticam a iniqüidade?
17 Se o Senhor não tivesse sido o meu auxílio, já a minha alma estaria habitando no lugar do silêncio.
18
Quando eu disse: O meu pé resvala; a tua benignidade, Senhor, me susteve.
19 Quando os cuidados do meu coração se multiplicam, as tuas consolações recreiam a minha alma.
20
Pode acaso associar-se contigo o trono de iniqüidade, que forja o mal tendo a lei por pretexto?
21
Acorrem em tropel contra a vida do justo, e condenam o sangue inocente.
22
Mas o Senhor tem sido o meu alto retiro, e o meu Deus a rocha do meu alto retiro, e o meu Deus a rocha do meu refúgio.
23 Ele fará recair sobre eles a sua própria iniqüidade, e os destruirá na sua própria malícia; o Senhor nosso Deus os destruirá.

Prece Espírita

Senhor, vós nos mandastes dizer por Jesus, o vosso Messias: “Bem-aventurados os que sofrem perseguição por amor da justiça; perdoai os vossos inimigos; orai pelos que vos perseguem”, e ele mesmo nos mostrou o caminho, orando pelos seus algozes. Por seu exemplo, Senhor, apelamos à vossa misericórdia, em favor dos que desprezam os vossos divinos preceitos, os únicos que realmente podem assegurar a paz, neste e no outro mundo. Como o Cristo, também nós vos pedimos: “Perdoai-lhes, Pai, porque eles não sabem o que fazem!” Dai-nos a força de suportar com paciência e resignação, como provas para a nossa fé e a nossa humildade, as zombarias, as injúrias, as calúnias e as perseguições que nos movem! Afastai-nos de qualquer idéia de represálias, pois a hora da vossa justiça soará para todos, e nós esperamos, submetendo-nos à vossa santa vontade. 
Assim seja!

Comentários

  1. Geralmente perseguidores são pessoas incapazes e desonestas, o qual seu maior odio é justamente a honestidade das pessoas. Espero conseguir minha briga por meus direitos e pelo que é correto.

    ResponderExcluir
  2. Alessandre, parabéns pela bela reflexão.

    No exemplo do Cristo, fortalecemos nossa crença de que a justiça, cedo ou tarde, há de prevalecer.

    A vocês (Alessandre, Antônia, Colenghi, Claudimir, Débora, e as centenas de servidores públicos municipais) que cumprem a nobre missão de servir à comunidade, devemos manifestação de apoio.

    E o desejo de que o reconhecimento se dê, antes, pelo respeito de quem passa pela administração pública de forma temporária, muitas vezes sem mérito algum.

    Curiosamente, ontem dissertava a meus alunos sobre a Teoria Científica da Administração, onde Frederick Winslow Taylor (1856-1915) definiu os princípios fundamentais da Administração:

    1- PLANEJAMENTO
    2- PREPARAÇÃO DOS TRABALHADORES
    3- CONTROLE
    4- EXECUÇÃO

    Ainda falta muito para que a Administração Pública, sejam novos ou nem tanto os modelos, atinja a excelência na observância destes princípios.

    Continuem sua luta. A sociedade, certamente apóia vocês.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Comentários Moderados.
Só serão publicados após aprovação do editor do blog.
Não serão publicados comentários de Anônimos, fora do contexto da postagem ou que utilizam de linguagem inadequada.

Postagens mais visitadas deste blog

Patrimônio Cultural Imaterial e Material

As vantagens do calçamento de pedras

Seu direito de IR e VIR é respeitado?