Pular para o conteúdo principal

Estação da Stevenson

Construída na zona rural na região do Fundão e inaugurada em 1927 a Estação da Stevenson compreende o prédio da Estação, a Casa de Turma e a Casa do Funcionário, formando um conjunto ferroviário importante por onde passava todo o movimento de passageiros e cargas e servia de ponto de encontro da população que residia na redondeza, ou seja, é um marco de desenvolvimento econômico, social e cultural.

O trecho entre Uberlândia e Araguari possuía 06 (seis) postos de abastecimento: Posto do Jiló, Estação de Sobradinho, Margem do Rio Araguari, Posto do Preá, Estação da Stevenson, Posto do Angá e o ponto final era a Estação Mogiana em Araguari (demolida nos anos de 1970 no governo de Fausto Fernandes de Melo para a construção da Av. Batalhão Mauá).Veja em comentários análise importante sobre este parágrafo.

A Prefeitura tem até 30 de julho* para apresentar o orçamento final a Caixa Econômica Federal, referente ao projeto de Restauração. Se perder este prazo, os quase R$ 600mil retornará ao Ministério do Turismo e  um ponto final será colocado nesta novela que já dura quase meia década. 

Com as obras de duplicação da BR 050,  pela falta de manutenção pelo proprietário (Prefeitura Municipal de Araguari), pelo uso do seu espaço por andarilhos que acendem fogo no seu interior para passarem a noite e, principalmente, pelo descaso com a memória cultural e ferroviária de Araguari, o prédio, já em ruinas e estruturalmente comprometido, tende a ser "tombado" literalmente.

A não restauração deste prédio, que está estrategicamente localizado, demonstra a falta de percepção empreendedora dos governos do passado e do presente. Enquanto no Brasil se discute a reativação da malha ferroviária, para fins, também, culturais, Araguari descarta a possibilidade de investimentos entre o Palácio dos Ferroviários e a Estação da Stevenson, bem como a ligação entre o Palácio dos Ferroviários e a Estação de Amanhece numa rota para o trem turístico, resgatando a memória da  Estrada de Ferro Mogiana e Estrada de Ferro Goiás; como já é feito em diversas cidades  do país como: Campinas(SP), Jaguariúna (SP), Ouro Preto (MG), Mariana (MG), Curitiba (PR), Paranaguá (PR), Bento Gonçalves (RS), Carlos Barbosa (RS), Santo André (SP), São Paulo (SP), Rio de Janeiro (RJ) .

Para muitos isso é utopia. O trem bala, também, para o Brasil era utopia, hoje é realidade. Utopia foi o brasileiro acreditar que a a seleção brasileira seria hexacampeã na Copa de 2010. Dinheiro tem, a Maria Fumaça, o vagão dormitório, o vagão de passageiros e o vagão restaurante, também temos, o que falta é vontade política e um mínimo de conhecimento cultural para dinamizar este projeto.

Araguari ao longo dos anos se tornou uma cidade dormitório - os moradores trabalhavam, faziam suas compras e se divertiam em Uberlândia e dormiam em Araguari - hoje se tornou uma cidade de passagem - rota de acesso a Caldas Novas (GO) - isso devido a falta de uma política de fomento ao turismo, principalmente, o cultural e ambiental, bem como, o turismo empresarial.

Araguari precisa criar o seu próprio modelo de sustentabilidade. O turismo é um destes instrumentos de sustentabilidade econômica e social. A população de Araguari tem que deixar de se contentar com o pouco e exigir de seus representantes ações mais ativas no sentido de dotar nossa cidade de uma estrutura que nos permita desfrutar de mais qualidade de vida num somatório de ações políticas voltadas a potencialização dos nossos recursos naturais, culturais, sociais e econômicos, desfazendo da idéia simplista e simplória de que apenas e somente, por exemplo,  o asfalto em ruas já pavimentadas com pedras irá trazer mais segurança ao trânsito ou irá  fomentar o desenvolvimento urbano de nossa cidade.

* Obs: Em 20/07/10 nos chega a informação que o Ministério do Turismo prorrogou o prazo para mais alguns meses, ou seja, finda-se em Dezembro de 2010 o prazo para início da restauração da Estação da Stevenson.

Comentários

  1. Acho engraçado a fúria com que nossos governantes usam pra abrir ruas sobre leitos ferroviários tombados e cobrir ruas de pedras com asfalto. Mas pra fazer coisa que preste, aí a conversa é outra.
    30 de julho é o prazo?

    ResponderExcluir
  2. Restaurar estações na proximidade do perímetro urbano acho razoável e válido, desde que se utilize pra alguma finalidade, mas no meio rural passa a ser duvidoso a utilização devida.

    ResponderExcluir
  3. Aristeu, em Uberlândia existem vários hotéis-fazenda que lotam nos finais de semana. E são no meio do "nada". Em Uberlândia existem vários restaurantes "sertanejos", que vivem lotados sem nenhuma publicidade. E são no meio rural. Um tem até passeio de barco, não dá conta da demanda.
    O projeto da Stevenson Velha, muito bem feito, prevê um centro de informações turísticas e um restaurante. Justamente ao lado de uma das rodovias mais movimentadas da nossa região. Justamente no único retorno entre Uberlândia e Araguari. As viabilidades não são tão simplesmente definidas só por serem urbanas ou rurais. Tem tanta coisa urbana que tem uso duvidoso. Aqui em Araguari mesmo tem uma tal de Câmara Municipal que gasta um dinheirão danado e não vejo ninguém reclamar de viabilidade.

    ResponderExcluir
  4. Nada melhor que uma pessoa que vivenciou a História para nos ajudar a escrever esta mesma História. O amigo Aloisio Nunes de Faria nos enviou um e-mail com o seguinte texto:

    "Na minha época de viajar entre Araguari e Uberlândia (bota tempo nisto, de 1958 a 1969), havia apenas cinco postos no trecho entre as duas cidades:

    Angá, Stevenson, Preá (bem à margem do rio Araguari onde eu e meu pai íamos pescar, quase todos os fins de semana) e, do lado de Uberlândia, Sobradinho e Jiló (localizado onde hoje a poucos metros fica o trevo do anel viário). Esse tal posto "Margem do Rio Araguari" não existia ou nunca existiu.

    Parabéns pela postagem "Estação de Stevenson". Ela reflete exatamente o que vivenciamos nos dias de hoje e se torna um alerta para os nossos gestores."

    ALOISIO NUNES DE FARIA
    www.portaldearaguari.blogspot.com

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Comentários Moderados.
Só serão publicados após aprovação do editor do blog.
Não serão publicados comentários de Anônimos, fora do contexto da postagem ou que utilizam de linguagem inadequada.

Postagens mais visitadas deste blog

Patrimônio Cultural Imaterial e Material

A Unesco define como Patrimônio Cultural Imaterial "as práticas, representações, expressões, conhecimentos e técnicas - junto com os instrumentos, objetos, artefatos e lugares culturais que lhes são associados - que as comunidades, os grupos e, em alguns casos, os indivíduos reconhecem como parte integrante de seu patrimônio cultural."
O Patrimônio Imaterial é transmitido de geração em geração e constantemente recriado pelas comunidades e grupos em função de seu ambiente, de sua interação com a natureza e de sua história, gerando um sentimento de identidade e continuidade, contribuindo assim para promover o respeito à diversidade cultural e à criatividade humana.

O Patrimônio Material com base em legislações específicas é composto por um conjunto de bens culturais classificados segundo sua natureza nos quatro Livros do Tombo: arqueológico, paisagístico e etnográfico; histórico; belas artes; e das artes aplicadas. Eles estão divididos em bens imóveis como os núcleos urbanos, sí…

As vantagens do calçamento de pedras

A compilação do texto abaixo reflete exatamente o meu pensamento pessoal e técnico em relação a pavimentação das inúmeras ruas de pedras da cidade de Araguari.

Tipos de Pavimentos de Ruas, Pátios e Pistas de Rolamento

O uso de pedras para pavimentar os caminhos do homem remontam aos tempos históricos. Era usado desde os gregos, os egípcios e os chineses. Por falta de tecnologia as primeiras vias eram pavimentadas com pedaços de pedra de todos os tamanhos. Com o domínio da arte de forjar ferramentas, o homem passou a cortar alguns tipos de pedras com maior simetria, que puderam ser utilizadas para diversos fins.
Usando mármore e granito o homem agora podia construir templos, igrejas, castelos e outras edificações. As ruas das cidades recebiam pavimentação a partir do corte rústico do granito, basalto, arenito e outras pedras menos rígidas.
Existem vários exemplos de estradas, ruas, praças e pátios construídas há milênios com estes tipos de pavimento e que ainda hoje servem a população, de …

Crescimento x Desenvolvimento

Sempre que se "comparam" as cidades o ponto principal é analisar "como elas cresceram".

O crescimento é baseado em números, ou seja, número de habitantes, número de indústrias, número de universidades, número de hospitais, número de vereadores na Câmara Municipal, enfim, no Brasil um número é o diferencial.

No meu entendimento, o crescimento é uma conseqüência do desenvolvimento. Para se alcançar o desenvolvimento é necessário dotar a cidade de condições para que o ser humano possa viver com qualidade de vida. Como qualidade de vida é subjetivo, ou seja, o mínimo para uma pessoa viver pode ser o máximo para a outra, depende apenas daquilo que a satisfaça num determinado momento.

Desenvolvimento é medido observando indicadores econômicos, sociais, culturais, ambientais, de sustentabilidade e o quanto isso é revertido em prol do ser humano para que ele possa ter uma vida digna.

Crescimento está diretamente ligado a quantidade, por outro lado Desenvolvimento está diretame…

Planejamento e Gestão Urbana II

1 - Introdução

O crescimento das cidades, principalmente o crescimento desordenado, leva-nos a pensar maneiras de contribuir com as cidades para que elas possam ter condições de oferecer o mínimo de qualidade de vida a geração presente e as futuras.
O processo de pensar a cidade recebe o nome de planejamento urbano. Planejar é escolher um conjunto de ações consideradas as mais adequadas para conduzir a situação atual na direção dos objetivos desejados. A execução destes objetivos fica a cargo da gestão pública. Gestão e planejamento são complementares, assim, planejamento é pensar em ações para o amanhã e gestão é o próprio fazer imediato daquilo que o planejamento delineou, na dimensão do tempo presente e dos recursos disponíveis.
2 - Planejamento e Gestão

Muitas vezes se diz que tal governo não planeja a sua cidade. O que ocorre é que atualmente os governos ainda estão presos a modelos de gestão pública onde o mais importante é o orçamento público, ou seja, define-se o quanto cada seto…

O Patrimônio Cultural - Quem é o Jacu?

Muitos dizem serem cultos e pertencerem a uma sociedade culta. Muitos se dizem entendidos de vários assuntos e chegam ao cúmulo de chamar outras pessoas de “Jacu” por discordar de suas opiniões ou costumes ou modo de vida. Que é “Jacu”? Que é cultura? Cultura se aplica somente aos Homens? Como reconhecer um Homem culto? Você se considera uma pessoa culta? Será que ser culto é apenas ler bons livros, falar e escrever em vários idiomas, viajar aos mais variados países, ir ao teatro, ser ator, autor, jornalista, radialista, apresentador de TV, professor, ter cursado um curso superior, ouvir bossa nova? Mas, vocês verão que até pra ser e chamar o outro de “Jacu” precisa ter cultura.

Para entendermos cultura precisamos compreender os fatores que contribuem para a existência de uma sociedade. Cultura está vinculado às sociedades. Sociedade pressupõe seres que compartilham a companhia de outros, tenham um idioma comum, leis ou regras de conduta, vivem em colaboração mútua em um mesmo meio ge…