PINCELADAS II

EM BREVE

A partir de 5 de junho ARAGUARI não será a mesma!!! O setor cultural de Araguari será agraciado com uma grande novidade. Aguardem...

HOMENAGEM

O meu reconhecimento da semana vai para Gessy Carísio de Paula, uma mulher dinâmica que está sempre à frente no tempo por suas ações altruístas que contribuem para que nossa sociedade tenha dias cada vez melhores.

BAJULAÇÃO I*

Se no seu ambiente de trabalho você perceber que há um pouco mais de bajulação explícita, não se surpreenda. Em tempos de crise, o lema dos incompetentes é bajular os patrões para garantir sua vaga. Essa prática aumenta na proporção em que os funcionários temem perder seus empregos. Porém, os especialistas afirmam que este tipo de comportamento e aceitação por parte dos patrões, prejudica as empresas. Se prejudica as empresas privadas, imagina o que acontece em um órgão público onde os cargos de confiança são leiloados e ganha aquele que “puxar mais o saco” do leiloeiro. Onde fica a qualificação? Abra o olho patrão, pois aquele que te bajula hoje é o mesmo que te apedreja amanhã.

BAJULAÇÃO II*

Alguns especialistas, como Bill Hanover, desaprovam por completo o comportamento bajulador. "Se você valoriza o respeito próprio, o respeito de seus pares e líderes, então bajular um superior para conseguir uma promoção deixará você sentindo envergonhado e carente", ele escreveu. "Não o faça."

MINHA CASA

Há um ditado popular que diz: “Quem CASA, quer CASA”. Mas, nem sempre isso acontece. A grande maioria das pessoas não possui moradias por diversos fatores. Para muitos, ainda, sua casa é a rua, seu teto é o céu e sua dignidade é um litro de “pinga” para se aquecer nas noites frias. Como se sentir digno quando a sociedade não respeita o ser humano? Quando se fala em habitação está se falando em saúde pública, ou seja, a casa é o porto seguro, é a tranqüilidade, o conforto, a proteção de quem a habita. A casa representa o seu lugar, a sua identidade, a sua referência e a sua vida.

MINHA VIDA

A busca pelo seu espaço e manutenção da sua vida é constante e gradativa para o ser humano que foi se adaptando e construindo meios para vencer certas barreiras. Foi desenvolvendo objetos e soluções para suprir suas necessidades e formar sua família. O sonho de todos é a casa própria. Mas como concretizar este sonho, que para muitos já virou pesadelo?

MINHA CASA, MINHA VIDA

Todos os programas habitacionais são políticos e são lançados em épocas estratégicas para angariar votos. Como a necessidade das pessoas em obter um espaço para se abrigar é muito maior do que a reflexão política sobre os interesses eleitorais ou eleitoreiros, isso fica relegado ao segundo plano pela população. Querendo ou não o político acaba ganhando os pontos extras daqueles que pagaram por um caixotinho chamado casa. O Lula sabe disso!!! O Programa Minha Casa, Minha Vida não é diferente de nenhum outro plano habitacional e repetirá os mesmos erros do passado: construir ilusões chamadas de “casas” e vender uma esperança para o povo.

*Fonte: Reuters em 14/04/2009

Publicado no Jornal Contudo de 22/05/2009. ed. 492. Coluna Olhar Urbano por Alessandre Campos.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Patrimônio Cultural Imaterial e Material

As vantagens do calçamento de pedras

Crescimento x Desenvolvimento